Benefícios da implementação de sensores na agricultura para tomada de decisão

Qual o contexto da alimentação e agricultura?

Escrito por: Frederico Apollo Brito

A expectativa apresentada pela FAO (Food and Agricultural Organisation of the United Nations) é o crescimento populacional para 10 bilhões de pessoas até 2050, acarretando aumento na demanda em 70% da produção agrícola atual. Concomitantemente a agricultura passar por um cenário de alterações climáticas, escassez de insumos, falta de água, pandemias e, unido a isto, mudanças constantes no comportamento social. Torna-se relevantemente fundamental a busca e implementação de tecnologias que auxiliem os agricultores na lavoura.

Diante da conjuntura atual ainda temos comumente perdas desnecessárias devido a erros considerados simples e incoerências em práticas agrícolas, tomadas de decisões, usos de insumos e investimentos. Decisões e ações serem aplicadas rotineiramente de forma incorreta provocam maior estresse no cultivo, retardo no seu crescimento, consumo excessivo de água, suscetibilidade a doenças e pragas, lixiviação dos nutrientes, entre outros efeitos ambientais muito maiores. O crescente conhecimento sobre fisiologia vegetal unido a diminuição de custos destas novas tecnologias (Lea Cox, 2012; Lichtenberg et al., 2013) torna-se forte argumento para aumento na adoção de sistemas para auxílio na tomada de decisão no cultivo.

            Devido a estes desafios da nossa agricultura, o objetivo da tese foi de avaliar a implementação de tecnologias para sensoreamento através de equipamentos WSIN (Sistema de comunicação integrada em rede sem fio) em cultivo, focado em horticultura. O tema central da monografia abrangeu os diferentes benefícios encontrados na implementação destas tecnologias com foco no acompanhamento e auxílio à tomada de decisão.

Benefícios da tecnologia

Os benefícios apresentados foram divididos pelo pilar financeiro e ambiental do ambiente de cultivo relativo à produção com a implementação da tecnologia e o outro com safra homogênea sem tecnologia, com fins de controle. Financeiramente fora desenvolvido um estudo baseado no fluxo de caixa do agricultor em que foi possível analisar os custos de investimento na tecnologia, o uso de recursos, a velocidade da produção, necessidade de estoque e o preço de venda. Ambientalmente fora analisado um conjunto de cenários com base na eficiência e grau de aderência dos agricultores neste tipo de tecnologia, através disto conseguiu-se ter uma visão do impacto sobre o consumo da água, lixiviação de nutrientes e emissão de gás carbônico por uso de eletricidade.

Esta experimentação acarretou a descoberta de benefícios diretos e indiretos, de curto e longo prazo para o agricultor e, como consequência, para o meio ambiente. A utilização do sistema demonstrou economizar diretamente quantia média de 50% a até 80% da água utilizada, concomitantemente com aumento da produção em 20%, tempo em média 15% menor para colheita, diminuição da mão-de-obra, menor uso de insumos. Os benefícios indiretos são economia de recursos finitos no mundo tal como fósforo, possibilidade de uso nulo de defensivos, possibilidade de receber melhor valor pelo produto e que este dura mais durante a logística.

Sensores de umidade e temperatura do ar e do solo em estufa de hortaliças

Conclui-se que, a implementação deste tipo de tecnologia é algo inevitável para agricultura visto que com a evolução da computação e eletrônica tendem a tornarem-se cada vez mais acessíveis financeiramente. Que as barreiras encontradas nos produtores ainda é a falta de credibilidade do funcionamento destas tecnologias, falta de acesso a conhecimento sobre o assunto e falta de conhecimento financeiro para realizar o investimento, entende-se que estes são trabalhados através de educação e orientação técnica.

More to explorer